terça-feira, 15 de janeiro de 2013

PARA OS QUE QUEREM SABER ALGO QUE A MAIORIA DESCONHECE




Penso que a maioria das pessoas ainda não entendeu uma coisa que desde há muito fomos alertados (por mensagens ou avisos proféticos) de que um dia haveria um determinado "Juizo Final" como resultado ou consequência de nossa sociedade global que se auto-destrói a si mesma com sua forma de civilização que está levando este mundo e os seres à destruição, sendo todos responsáveis pelo que se passa colhendo cada um seu 'karma' de condenação. Também os poderes de 'César' (imperialistas e materialistas) tombarão quando chegar a hora e o tempo certo de uma certa Intervenção. Esta é a minha convicção, partilhada por uns e por outros não!

RP

24 comentários:

Anônimo disse...

Sweet site, eu não tinha encontrado o seu blog em minhas pesquisas! Realizar o trabalho fantástico!

Anônimo disse...

Hello. And Bye.

Romão Casals disse...

O conteúdo do vídeo até dá vontade de rir.

Que coisinha mais sem jeito, não compreendo como podes acreditar nestas descrições de pseudo sabedoria…

Os esclarecimentos reflectem uma total desordem na abertura da ciência empírica descritiva.

Romão Casals disse...

A pergunta seria:

Será que, além de nós, existe vida inteligente não biológica no universo?

Aqui a história é outra, e a ciência não tem condições de detectar, porque sabemos que a vida não se resume apenas ao factor biológico.

O que falta biologicamente a alguém que acaba de morrer por morte natural?

Nada…

Porque não está viva?

Anônimo disse...

Amigo e irmão Rui.

Gostaria que o irmão Romão "explicasse", em termos científicos e dialético o termo "vida não biológica".
Para "esclarecer" a burrice do mesmo, ele falou sem "princípio lógico da palavra", logo, não disse nada!
Há quase 50 anos nossa CIÊNCIA abortou o termo "vida" se não for "inanimada", logo, vida se refere à "animação biológica"!

Por outro lado...

Romão. Gosto de tuas manifestações irreverentes e sublimo teus equívocos semânticos e/ou científicos. Pelo menos tens coragem e despudor de falar segundo pensas, e isto é fundamental nos seres humanos. Pelo menos não és um "Cristiano(a)" na vida. ès corajoso e destemido e mantém tuas posições como um "guerreiro"! Alkiás , és um "guerreiro nato" e deves se manter assim!
Acho-vos "uma bêsta" (kkkkk), porém és inteligente e percrustador do conhecimento humano. Não fôra tu, eu e o Rui ficaríamos a divagar ao vento como duas "bêstas borboletérias", rsrsrsr!
Agora...
Pergunto ao irmão Romão!
Acreditas, diante dos atualíssimos acontecimentos, inclusive da renúncia Papal e a subsequente eleição de um Papa Negro que nossos Irmãos Ets não estão conosco?
Eu aposto 100 dólares contra 50 teus que o Papa será negro! Concordas? (a depositar no Banco do Brasil). Já logo podemos acertar tal débito em vezes de 10.
"Estamos a lançar "sorte" sobre os mantos da "Grande Meretriz"! "Aquela que se vestiu de escarlate"...Aquela que derramou o sangue das criançinhas e dos inocentes"...
Vamos Romão, meu amado "guerreiro"!
Vamos cavalgar entre os abrolhos dos tempos...
eh,eh,eh. ...

Grande abraço a todos...

Marquês de Marialva.

Romão Casals disse...

A inteligência é independente da matéria no seu acto sumo de conhecimento, assim como correlativamente também o é a vontade no seu acto livre. Não é causa eficiente, mas causa formal, todos os movimentos do corpo provêm da energia que este recebe e do meio circundante.

A forma substancial do homem pode portanto definir-se metafisicamente, como a forma substancial de um corpo vivo. Por conseguinte, o espírito e o corpo não são dois entes distintos, mas dois distintos princípios do mesmo ente.

A matéria-prima não tem essência independente em conformidade ao composto hilemórfico, ou seja, não tem nenhuma qualidade isolada, dado que esta não se pode conceber senão com relação à forma que lhe é o princípio por explicação, a fonte passiva para o corpo total, é unicamente a capacidade de este ser extenso, trata-se efectivamente de pura potência.

A noção de potência requer sem dúvida um profundo esforço de abstracção e compreensão, mas sem ela é impossível conceber ou explicar a natureza íntima da matéria, e mais especificamente, a mudança que esta sofre na personalidade de essência. Se assim não fosse, toda e qualquer alteração seria acidental, secundária, sem que a diferença se distinga do pressuposto diferencial.

Um cadáver não é um corpo humano, aqui, sim, temos um agregado acidental de células, despojado de toda e qualquer unidade essencial ou substancial. Os argumentos mecanicistas são incapazes de explicar o mundo inorgânico, falham completamente no confronto com o mundo material. Eles consistem em afirmar a ausência de forças irredutíveis aos factores físico-químicos.

No organismo de tais entidades imateriais, tudo se dá em razão de reacções complexas destes factores, além disso, como função alguma é absolutamente própria ao domínio da vida, os limites entre o inorgânico e o orgânico, se existem, são de todo imprecisos e indiscerníveis ainda segundo o mecanicismo.

Tudo quanto há na criação, ainda que se trate de uma partícula atómica, é já uma síntese matéria-forma, é uma dualidade ontológica, é impossível existir matéria sem forma. Por conseguinte, a matéria-prima não é algo que se possa figurar visível nem imageticamente. Sem este princípio quântico seria impossível compreender a mescla de estabilidade e mudança de uma modificação substancial.

Na alimentação, por exemplo, elementos estranhos ao corpo de determinado animal tornam-se parte dele, sendo agora de modo completamente novo, incorporam-se ao todo que é o ser, todavia subsiste algo no substrato material, a potencialidade que recebeu nova forma em lugar do concreto que determinava o contorno anterior.

No entanto, é necessário muito cuidado com o absurdo frequentemente cometido a respeito da justificação de potência na teoria do hilemorfismo, afirmando que a matéria não é, de modo nenhum, algo constituído independentemente de alguma forma. Acontece que tal propriedade nova, já se encontra com anterioridade no sujeito, mas de um modo singular e particular.

Romão Casals disse...

Muitos filósofos modernos consideram que esta propriedade não passa, antes da sua manifestação, de pura possibilidade lógica, uma abstracção sem conteúdo ontológico, é precisamente nessa negação que reside a ruína do seu pensamento. Sendo que, o possível ainda não está constituído, e se o resultado ou ponto de chegada é real ou actual, só o é pelo fato de a fonte ou ponto de partida ser, obrigatoriamente, uma existência, ainda que potencial, e não mera possibilidade conceptual.

Retomemos o raciocínio esquematicamente para toda e qualquer entidade como sendo uma realidade confirmada, ou uma mera possibilidade no estado de potência sem acto concreto. Nunca se identifica de outro modo, porque admitir que uma nova propriedade é real e dizer, em seguida, que antes de ela se manifestar havia somente uma possibilidade lógica, seria dizer, de maneira contraditória, que um efeito real pode advir de uma causa ou fonte não real.

A metafísica na ideia é a superioridade do ato sobre a potência e sua anterioridade em termos absolutos, tudo o que está efectivamente realizado, ou seja, tudo o que é, está em acto de perfeição. Um ente que muda é imperfeito porque está prestes a adquirir ou perder algo, o que lhe denota a finitude ou contingência.

Deste modo, a forma é limitada pela matéria-prima que a recebe, assim como o ser é limitado pela essência receptora. Por natureza e por definição, acto quer dizer perfeição, e tende a comunicar-se expandindo-se sem nenhuma limitação intrínseca, ele não traz em si a ideia de limitação.

Reflectindo no princípio da contradição, o real não pode cingir-se na tendência que confere a perfeição e sob idêntico aspecto, limita ou impede a mesma. O acto é limitado pela potência com relação a um princípio superior, porque se a potência é limitada por si mesma, enquanto tal ou qual capacidade, ela guarda certa indeterminação que se requer no ato que a completa.

A matéria-prima é pura potência sendo por si mesma despida de forma, a aquisição de determinada forma, que a faz fixar-se em dada espécie, determina-lhe o contorno ontológico e inteligível. O elemento básico informação é uma entidade não material, a informação é mental (não é uma propriedade da matéria), tanto é que processos puramente naturais são fundamentalmente fontes incapazes de gerar informação.

Rui Palmela disse...

Tanta dissertação e nenhuma conclusão se tira de suas palavras, caro Romão. É caso para dizer "muita parra e pouca uva" ou tanto palavreado sem qualquer informação... Por isso é mais valioso o pensamento de qualquer filósofo dos tempos modernos que desafia as inteligências adormecidas, do que aturadas elucubrações cerebrinas que saiem das mentes vazias.

Romão Casals disse...

Rui,

Existe memoria nas partículas elementares da matéria.

A alegria, a tristeza ou o medo, são na verdade parte essencial da realidade do universo. Contudo, a ciência mesmo não tendo conhecimento da sua origem, desconsidera-os por conterem elementos de filosofia ou religião.

Tu próprio já afirmaste muitíssimas vezes que a vida não se resume ao factor biológico, transmites em teus raciocínios uma vertente espiritual que se complementa na virtude da dignidade prevalecendo em registo da consciência humana.

Refiro-me em concreto há tua própria versão de inteligência indiscernível, não dependente da matéria, do mundo visível ou do espectro não mensurável à visão. A substancia metafisica que na tua interpretação subscreves como reencarnação da alma no ser vivente.

Portanto, não se compreende o motivo da tua reacção desrespeitando um raciocínio filosófico que em tudo se identifica com a mesma cosmovisão que anuncias.

É de facto muito estranho…

Não pretendo ser original, é precisamente essa vaidade que esta no inicio de tudo.

Para além de uma profunda estupidez, o sujeito tem exactamente o mesmo raciocínio da multidão de pessoas completamente doidas deste mundo moderno, que se está entregando a uma logica satânica de destruição da humanidade.

Existe uma tremenda preocupação em agradar aos homens, o vaidoso precisa de plateia e não está preocupado em agradar a Deus, afinal o inferno não existe, e este é o primeiro dogma a cair na desgraça demoníaca.

Para o filósofo moderno, adaptado ao mundo real, o verdadeiro Deus não é Pai todo-poderoso, mas sim um vovô todo-tolerante, um deus semelhante ao papai noel, ho, ho, ho. O curioso é a vontade do parvalhão irreverente que se intitula livre e original, o pensador do momento, todo prá frente, sem notar que acaba de dar o passo definitivo que o torna escravo da opinião pública.

Temos agora um deus que agrada aos homens, o deus do mundo moderno, estando criadas as condições para com legitimidade se fazer as mais hediondas deformações da fé. Mas este deus em nada se assemelha com o Deus que foi crucificado.

Infelizmente esse pessoal que está no declive fechando-se para a verdade de Deus, realmente não entende qual o significado, real e verdadeiro, de que o princípio da sabedoria é temer a Deus.

Este tipo de mentalidade mundana, inflamada no marxismo cultural, é o passo decisivo para o irreversível endurecimento do coração. Assim se determina o pecado contra o Espirito Santo.

Rui Palmela disse...

Caro Romão, cá estamos de novo discordando um do outro em muitos aspectos pelo teu afunilamento mental de cunho religioso que te impede de pensar ou raciocinar livremente, como de resto sucede com muita gente que se diz ‘crente’.

Tu dizes que...

“Para o filósofo moderno, adaptado ao mundo real, o verdadeiro Deus não é Pai todo-poderoso, mas sim um vovô todo-tolerante, um deus semelhante ao papai noel, ho, ho, ho”...

Não é isto que pensam os Filósofos modernos tal como os antigos, caro Romão, pois essa imagem do velhinho de barbas brancas a pontificar nas nuvens a ver quem se porta bem ou quem se porta mal, foi criada pela Igreja Católica, tal como o “Papai Noel” foi criado de uma lenda xamânica há milhares de anos que a Coca-Cola aproveitou e deu cunho pessoal para venda de seu produto no século actual.

E mais dizes que...

“Temos agora um deus que agrada aos homens, o deus do mundo moderno, estando criadas as condições para com legitimidade se fazer as mais hediondas deformações da fé. Mas este deus em nada se assemelha com o Deus que foi crucificado”.

Pois eu digo que quem deforma a fé são as Religiões que exploram a ignorância das populações aumentando a riqueza que seus Profetas abominavam e hoje se demarcariam de seus lideres a quem Jesus se referia quando dizia “Ai dos que não entram (no Reino dos Céus) nem deixam entrar os que (pela sua fé) já iam entrando”... E mais te digo, caro Romão, que tens uma ideia equivocada sobre Deus, como os teólogos e clérigos romanos, que continuam alimentando a ideia (errada) de que DEUS (Eterno e Infinito) foi crucificado há mais 2000 anos.

Bastaria pensares nas palavras proferidas por Jesus no acto da crucificação, dizendo: “Pai, perdoai-lhes porque não sabem o que fazem” para chegares à conclusão que o “Pai Celestial”, Criador da Vida Universal, está num nível inantigível pela mente dos homens e nem caberia num corpo de carne como o de Jesus que sofreu no alto duma cruz. Este sim se dirigiu ao Pai, como todos nós seus filhos em horas de aflição, porém cheio de amor e não ódio nem desejos de vingança em seu coração. Jesus deu de facto o maior exemplo de perdão. Ele era verdadeiramente um “Filho de Deus” que foi rejeitado pelos principais do Templo, os homens da Religião, que o viam como um intruso ou inimigo de suas crenças e trataram de o neutralizar cheios de ignorância e incompreensão. Ainda hoje isso sucederia se surgisse do mesmo modo no seio da Humanidade a condenar toda a Iniquidade. O Vaticano está cheio dela...

E concluis dizendo, sobre os filósofos modernos, que:

“Infelizmente esse pessoal que está no declive fechando-se para a verdade de Deus, realmente não entende qual o significado, real e verdadeiro, de que o princípio da sabedoria é temer a Deus”.

Não caro, Romão, mais uma vez discordo dessa ideia que a Igreja cultivou durante séculos para dominar pelo medo as populações, em vez de dizer que devemos Amar e não temer Deus (Nosso Pai) em nossos corações.

Finalmente, concordo que o marxismo cultural cultiva o Ateismo no século actual cujas ideologias politicas se afastam do conhecimento da verdade negando Deus e todos os princípios da Espiritualidade. Também reprovo os neo-liberialismo e as ditaduras cristãs do século XXI dos regimes das partidocracias, chamadas de “democracias”, onde cabe toda a Imoralidade numa sociedade que caminha para seu fim cheia de ‘liberdade’.

Romão Casals disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Romão Casals disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Romão Casals disse...

Rui,

Os compreensíveis equívocos que tens em relação à Igreja, e a legítima renitência perante os traidores da cristandade, não justifica a tua rejeição ao Verbo encarnado. Precisamos ser verdadeiros discípulos de Cristo, transformar este mundo pagão, sem fé e sem esperança, em um mundo disposto a dar a sua vida pela verdade do evangelho.

É esta a verdadeira missão, e foi isto que nosso Senhor nos pediu, Ele antes de subir aos céus disse: Ide pelo mundo inteiro pregar o evangelho a toda a criatura baptizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Foi isto que fizeram os apóstolos, atravessando mares, derramando sangue e dando suas vidas para converter as pessoas em cristãos.

No entanto, se São Paulo estivesse no mundo de hoje, talvez tivesse sido dissuadido de sua missionariedade por um desses missionários apóstatas do mundo moderno.

Vejamos o que faz um missionário no mundo moderno?

A primeira coisa que estes homens iluminados fazem, é convencer-nos de que todas as religiões são boas, ou seja, todas têm aspectos de verdade e por conseguinte ninguém pode reclamar o exclusivo da revelação em Deus.

Quando São Paulo, depois de ter chegado à Europa na primeira comunidade crista que ele fundou em Filipos, ao confrontar-se com um desses missionários mundanos, talvez tivesse ouvido as seguintes palavras:

- “Paulo! Meu irmão! para com isso! Deixa-te de imperialismo religioso meu filho. Aqui na Europa, já temos a nossa religião, você tem que nos respeitar, estamos aqui na periferia de Corinto, prestando o nosso culto pagãozinho, que é um tanto sincrético, é meio judaico meio macumba, enfim, meio tudo… Estamos felizes e contentes e vem você para nos incomodar com esse Jesus Cristo com a cruz às costas… Ninguém quer uma cruz hoje em dia, você tem que se adaptar a uma mentalidade moderna, livre de amarras interpretativas e dogmas elaborados por mentes vazias de espiritualidade”.

Este é o primeiro passo do missionário do mundo, conseguir apagar, conseguir matar a missionariedade dos verdadeiros cristãos. Aqueles que tal como Paulo, foram atropelados pelo amor de Cristo na via de Damasco.

No caminho, em seu pecado, Paulo encontrou Jesus e teve uma experiência eclesial, ele compreendeu que Jesus, ressuscitado nos céus, estava vivo aqui na história. Saulo, Saulo, por que me persegues? Ou seja, esses homens, essas mulheres, esses fiéis católicos que colocas na prisão, são membros do meu corpo, é a mim que persegues.

São Paulo fez esta grande experiência; Jesus está vivo…

Cristo morreu por nós, o mundo precisa saber disto, foi esse o motivo que impeliu São Paulo a converter povos inteiros.

A Europa cristã viveu estes dois mil anos de história porque homens como Paulo creram verdadeiramente que a cultura pagã precisava ser mudada, e que o mundo não sendo cristão caminhava para o abismo.

Era esta a convicção dos primeiros cristãos, mas não é isto que vemos no mundo moderno em que as pessoas preferem adaptar aos seus gostos pessoais, um Jesus paz e amor que aceita todo tipo de mundanidade e maluquice. As pessoas prostituem-se ao mundo e vivem todo o tipo de devassidão pregando todo o tipo de direito contrário ao evangelho.

Romão Casals disse...

Rui, se quiseres comparar o Jesus dos missionários do mundo com o Jesus dos Santos, o Jesus no qual cria Santa Teresinha, São João Bosco, Santo Padre Pio de Pietrelcina, o bem-aventurado João Paulo II, verás que não se trata da mesma religião.

Ódio do apóstata, é o nome que se dá a este fenómeno de missionários com tanto ardor e energia. No livro “Chiamate Cristo”, o Cardeal Ratzinger, alertou para o seguinte:

O apóstata é um sujeito que se acha cristão mas que encontrou uma adaptação ao cristianismo, ou seja, ele pisou em cima de sua própria consciência e elaborou uma nova interpretação para uma versão mais fácil do cristianismo. Neste caso, as exigências e os sacrifícios são sempre para os outros, ele simplesmente tem que ser feliz.

Exemplo da mentalidade revolucionaria do apóstata iluminado:

Jesus diz: Quem olhar para uma mulher desejando-a, no seu coração comete adultério.

O apóstata, olha para esta pagina do evangelho e diz: Não, isto é muito radical, foi com certeza um acréscimo da comunidade cristã primitiva. Jesus não diria tal absurdo, Ele é um Deus de amor e não nos vai castrar, Jesus não nos vai impedir de exercermos a nossa sexualidade, isso foi o reflexo do puritanismo da comunidade primitiva.

Jesus diz: Quem me quiser seguir, renuncie a si mesmo e tome a sua cruz.

O apóstata diz: Não!!! Nada disso!! Isto é apenas uma visão dolorista, pessimista e masoquista do cristianismo, Jesus não pediria a cruz e a dor para ninguém, porque na verdade a cruz não tem esse significado, a cruz é simplesmente uma derrota, Cristo foi derrotado, mas agora a causa de Jesus continua viva dentro de nós, é por isso que ele está ressuscitado, porque estamos lutando por um mundo melhor.

Para concluir, pode dizer-se que o apóstata necessariamente fica incomodado quando na presença de um cristão conservador. Trata-se de um sujeito inventor, igual a todos os ímpios que deram asas à imaginação, a doutrina adaptada aos gostos e prazeres pessoais.

Precisamos reavivar a chama e partir como missionários, sendo que a primeira terra de missão na qual devemos por os nossos pés, é o nosso próprio coração. Realmente é necessário crer que existe paganismo, que existe mundo no meu coração precisando ser convertido, corrigir a fé do herege que esta dentro de mim, devo adaptar-me á fé dos apóstolos e à fé da Igreja de 2000 anos, na fidelidade de Jesus Cristo e ao Santo Padre com o exemplo de tantos Santos ao longo dos séculos.

Anônimo disse...

Amigo e irmão Rui Rui Palmela.
Amigo e Irmão Romão Casais.

Romão! É bem de ti "cotucar a onça com vara curta" kkkkk.

Ora, se se falar em VIDA necessariamente ela tem de ser biológica! Ao contrário do que aprendemos nos bancos escolares "vida inanimada não é vida, mas simplesmente é "ser inanimado". A semântica de nossa língua, vida pressupõe "anima-re". Logo precisa o amigo estudar latim ou grego! kkkkkk.
Contudo, tua irreverência me agrada e muito. A irreverência difere da ignorância posto que a primeira busca o saber e a evolução e a segunda busca a contenda e a destruição.
Romão. Tu és muito mais jovem do que te mostras. Quiça, vosso nome seja um ardil. Porém tua inteligência é estupenda e procuras "beber do cálice do conhecimento, como eu bebo do cálice da vodka" Sinto teu espírito (não obstante os milhares de quilómetros que nos separam), leve...solto...e mais, conhecedor de nossos irmãos cósmicos.
Portanto, inútil tua "guerra" com o Rui, posto que este tem a "pureza dos gatos e a ladinidade das pombas" kkkkkkkk!
Mando aqui e agora um "e-mail" para comunicação "inter-galáctica" rsrs:
"antonioclaret50@uol.com.br"
Grande abraço.

Rui Palmela disse...

Querido amigo e irmão de alma Marialva,

É sempre um prazer te ver por aqui manifestando também tuas opiniões sobre os temas e discussões.

O nosso amigo Romão Casals, contou hoje uma história pessoal que registei com muito agrado noutra página deste Blog com o título "OVNI EMITE LUZ VIOLETA" e parece que já vai abrindo sua mente para algo que até aqui rejeitava, sendo como o apóstolo Tomé que só vendo para crer, hehehe.

Na verdade o tempo será sempre o melhor mestre para mudar muitas ideias e opiniões sobre nossas crenças e convicções, em especial as que foram criadas na base de muitas fantasias das religiões.

Creio que muitas coisas vão se perceber e tornar mais claras sem necessidades de grandes discussões quando a mente se iluminar e abrirem as portas fechadas dos corações.

Por fim, se maravilharão sempre aqueles que há muito esperam e acreditam nos "Irmãos Cósmicos" que preparam uma intervenção neste Planeta e dela já falava Jesus Cristo no seu Sermão que uns entendem e outros não.

Um abraço do coração.

RP

Anônimo disse...

Amigo e irmão d'alma Rui Palmela.
Amigo e irmão Romão Casais.

O irmão Casais fal eloquentemente - como filósofo que é - com todo o conhecimento da "escolástica Católica e demais religiões "menos filosóficas", brilhante em tua exposição. Porém ao conhecimento deve-se somar a sabedoria e "triturar ambos no "liquidificador da VERDADE; passo mais difícel de se conseguir. Para tal façanha árdua carece misturarmos todos (absolutamente todos) os anseios e pensamentos humanos de vida vivente.(vidas inanimadas não se manifestam no "liquidificador da sabedoria) relegando para nós humanos tal missão.
Com toda tua erudição, caro Romão, talvez fosse capaz até de convencer o Rationzer(PAPA) a não renunciar, porquanto duvido uma vez que como o Sumo Sacerdote não resistiu às VERDADES actuais e como um "vira latas - ao invés de pastor alemão" - foge em debandada para o conforto de um palácio real com todas as mordomias que nem os Césares ou Cleópatra tiveram, deixando a capitulação da Igreja Católica aos "Generais" ou Cardeais. (Isto não nos traz à baila um tal de "Fruller"?)
PEÇO PERDÃO, NÃO À IGREJA CATÓLICA OU AO PAPA, MAS AOS AINDA CRENTES NESTA DESAVERGONHADA CORJA, POR MEU PALAVRIADO "GUERREIRO" E DESALMADO!
"Oh, Roma, Roma...Quem te viu e quem te vê hoje...preferirá mil "Césares"!...
Do mais, meu caríssimo Romão; Dos Céus vieram os Anjos de encontro aos anseios do Povo do Planêta Terra. (concordas?). Contudo não viajaram por entre as estrêlas e as "chuvas de asteróides" num trenó do Papai Noel e não são tão barrigudos e obesos posto que não comem carnes e nem doces. rsrtsrs.
Agora, no Conclave, não sei se queimarão somente papel ou quiça "canabis sativa L". kkkkk! Se tem maconha não sei, mas vinho etílico tem muito e já bebí muito também quando criança
e "coroínha"! rsrsrsr

De resto Amigo Romão se maneares uma espada ou um fuzil como maneias tuas palavras, terás emprego certo em minha equipe.

Rui, meu irmão. Se achares inconveniente minha dissertação podes abortá-la. Porém estamos a abrigar milhões de muçulmanos na Europa e nas Américas, cuidando, alimentando-ose incluindo-os em nossa sociedade a um custo alto para nós. (fazemos de bom grado). Contudo a Santa Igreja já poderia ter resolvido tais questões há mais de trinta anos atrás. Nada fêz. Enquanto o mundo fervia em guerras e mortes infanticidas, as "bichonas Cardealescas" estavam a encher a pança de comida e o rabo às custas da pedofilia insensata e insana. Bastava uma ordem papal junto à ONU e aos EUA e à URSSA e à China! Bastava aos bancos do Vaticano liberar ouro para as criançãs famintas do mundo...Bastava o verdadeiro apostolado Cristão, do Jesus das Estrêlas...Bastava um pouquinho de AMOR...Contudo, a "Grande Meretriz de 7 cabeças" preferiu a sodomia porca dos porcos...Hoje a viadagem passou a ser regra (sem regras) e o casamento e a família é espúria excepção.
Grande abraço Rui e Romão (a combinação de nomes dá samba!)rsrsrsr.
Marialva.

Romão Casals disse...

Um breve apontamento ao infeliz comentário no último parágrafo do amigo Marialva…

Não nos deixemos enganar pela superficialidade de homens e mulheres que escrevem com o púlpito da média secular, são pessoas que alardeiam os pecados da Igreja, escandalizadas com o pecado dos outros, mas minimamente dispostas a olhar para os seus próprios pecados e mudar as suas vidas.

Os clamores dizendo que Igreja precisa de uma reforma, sustentando-se unicamente nas estruturas humana, não compreendem que a verdadeira renovação provem das almas. A Mãe bondosa, imaculada e Santa, tem filhos leprosos que necessitam de conversão e santidade.

“De alguma forma não se salva, embora incorporado à igreja, quem não persevera na caridade, porque permanecendo na igreja pelo corpo, não está nela pelo coração.”
(Santo Agostinho)

A Igreja é, aos olhos da fé, indefectivelmente santa, pois Cristo, Filho de Deus, que com o Pai e o Espírito Santo é proclamado o único Santo, amou a Igreja como sua Esposa, por ela se entregou com o fim de santificá-la. Uniu-a a si como seu corpo e cumulou-a com o dom do Espírito Santo, para a glória de Deus.

A Igreja é, portanto, o Povo santo de Deus, e os seus membros são chamados santos, a caridade é a alma da santidade à qual todos são chamados. Os cristãos, de qualquer condição ou estado, são chamados pelo Senhor, cada um por seu caminho, à perfeição da santidade pela qual é perfeito o próprio Pai.

A Igreja é santa, mesmo tendo pecadores em seu seio, pois não possui outra vida senão a da graça, é vivendo de sua vida que os seus membros se santificam, é por isso que ela sofre e faz penitência por essas faltas das quais tem o poder de curar seus filhos, pelo sangue de Cristo e pelo dom do Espírito Santo.

Rui Palmela disse...

Caro Romão Casals,

É o respeito pela diferença de ideias e opiniões diferentes com a liberdade de expressão a que todos temos direito que me faz aceitar tuas 'homilias' neste espaço aberto que tem outro propósito que é o do Conhecimento e não o da ignorância cultivada pelos tempos por essa Igreja pseudo 'santa' que referes, cheia de Pecado e Iniquidade, Luxo e Vaidade, que nada tem a ver com a Verdade dos Evangelhos e a Santidade do Amor de Cristo.

Permito porém tuas bem intencionadas 'pregações evangélicas' algo enfastidiantes e desenquadradas deste espaço que no entanto merecem minha aceitação pelo espírito da tolerância que me move e pelo reconhecimento de citações que têm seu valor moral e espiritual que nunca é demais refletir no tempo actual.

Mas é como te digo, caro amigo, este não é o lugar ideal para dares 'missa' no teu jeito clerical e deverias criar um Blog para exprimires tudo o que te vai na alma e passares tua mensagem de grande devoto da Igreja de Roma e do poder papal que creio terminará seus dias no século actual, caindo tudo o que é falso e fantasioso e apenas se manterá viva a Fé no coração dos homens e mulheres que crêm verdadeiramente em Deus e no seu Reino Celestial.

Anônimo disse...

Ao ROMÃO,

Vais cair de quatro, quando toda a verdade da Santa Igreja vier ao de cima e todos sem excepção a verem sem vendas nos olhos. Prepara-te, e preparem-se! Garanto-te que toda a rectórica por ti pregada pouco servirá no futuro, perante a multidão enfurecida e selvagem que é a actual humanidade da superfície terrestre. Pois assim também foi o papel da sua educadora - a Igreja - insensível para com o esplendor da Vida, a Verdadeira Graça de Deus, violando crianças, condenando inocentes, saqueando ou desapropriando bens aos seus proprietários, fomentando guerras... Não existe moral nem advogado para tanta perversão!

Só me resta dizer-vos isso, a verdade habita no coração de cada ser. Tudo é a manifestação da Fonte. A 3a dimensão e as sucessivas, de acordo com mais ou menos liberdade, são hologramas - representações - por onde se expressa a Vida/Fonte. Cabe a nós, seres em pleno desenvolvimento consciêncial, aproveitarmos a jornada da melhor maneira possível!

Romão Casals disse...

Rui,

Pode não ser do teu agrado, mas não me podes acusar de não ler exactamente o que foi textualmente revelado por quem conviveu de perto com Jesus. (o mesmo Jesus que tanto pregas em tuas composições ufológicas com contornos de umbanda)

Também não é muito bonito censurar o conhecimento e dedicação que trago a este espaço. A incredulidade é negligenciar uma verdade revelada, ou a voluntária recusa em dar assentimento de fé a uma evidência.

Heresia é a negação após o conhecimento de algumas verdades que devem ser acreditadas com fé divina, ou igualmente uma obstinada dúvida com relação às mesmas. O resultado é o total repúdio da fé cristã.

No entanto, a dúvida involuntária designa a hesitação em crer, a dificuldade de superar as objecções ligadas à fé ou, ainda, a ansiedade suscitada pela obscuridade da fé. Se for deliberadamente cultivada, a dúvida pode levar à cegueira do espírito.

Tenta ver as coisas no seu lado positivo… Que piada teria se eu apenas exalta-se as reflexões por ti declaradas?

Do tipo: “É isso mesmo, também concordo”, ou então, de um modo completamente idiota, “nunca tinha pensado dessa maneira, agora fez-se luz” e ainda, “tens razão, andam a enganar-nos com lavagens ao cérebro”.

As minhas intervenções em conjunto como as tuas indagações, obrigam a uma análise mais profunda das evidências. A procura da verdade seja ela qual for.

Não é esse o teu propósito?

Rui Palmela disse...

Caro Romão,

Nunca pretendi a concordância de todos os que lêm meus textos sobre os mais diversos assuntos e muito menos procuro a minha glória neste mundo, pelo que sou imune ao elogio ou à censura e continuo sempre transmitindo algo que contribua para um mundo melhor, com mais verdade e mais amor. E sobre isto, caro amigo, não é a Igreja de Roma e sim a Verdade de Cristo (que não é exclusiva de ninguém nem de nenhum Papa na Terra) que subsistirá no meio de tanta ignorância e desinformação que é cultivada e mantida pelos homens da Política (da esquerda à direita) e da própria Religião.

Estamos vivendo um tempo de grandes mudanças e transformações que despertará inúmeras consciências e se iluminarão muitos corações, sendo a Fé um sentimento que não pode ser medido pelo conhecimento nem pela citação de textos bíblicos que muito aprecias e onde alicerças tuas dissertações. Respeito isso do mesmo modo que respeito as críticas que fazes às minhas teses ou ideias que não subscreves por teres outro entendimento da verdade ou das coisas que trago a este espaço para discussão. Mas sinceramente nada acrescentas de novo a não ser a ‘missa cantada’ que repetes com o mesmo objectivo da ‘Santa Madre Igreja’ que é pecadora e vive na Iniquidade, subvertendo ou omitindo a Verdade, vivendo no luxo e na vaidade, nada tendo a ver com Cristo que abomina tudo isto.

De resto, já te aconselhei um determinado livro que não foi escrito por ateus e sim por um grupo de Monsenhores ao serviço da Cúria Romana com o pseudónimo “I Millenari” que tiveram a coragem de apontar os podres da “Santa Igreja” do Vaticano e se demarcaram em nome dos Evangelhos dizendo verdades, denunciando o carreirismo religioso, o tráfico de influências, os jogos de conluio e poder, os comportamentos dúbios e escandalosos (incluindo os pedófilos e homossexuais), as mentiras e os privilégios de uma casta clerical no topo da hierarquia eclesiástica, etc., etc., que nada tem a ver com o Projecto de Jesus como ele próprio preconizou para esta Humanidade.

O VATICANO CONTRA CRISTO, é pois um livro que põe em causa essa Igreja que chamas de ‘Santa’ e tem muitas contas a prestar a Deus quando chegar a hora da Verdade e com ela cairão todos os que ídolos de pés-de-barro que o “Espirito Santo” não contempla, nem inspira, nem escolhe para representar Deus na Terra e sim aqueles que bem conhece e trabalham há muito para a construção de um Mundo Novo e o alvorecer duma Nova Era.

Portanto, caro Romão, vou fazendo meu trabalho ciente de que estou fazendo bem, apesar de tu achares o contrário em muitos aspectos que não entendes ou não alcanças pela tua percepção, porém é-me indiferente a tua concordância ou repreensão. Subscrevo no entanto tua frase onde dizes que tuas intervenções em conjunto como as minhas indagações, possam ser úteis a todos os que nos lêm e vão tirando suas ilações.



Antonio Maria Claret Soares de Marialva disse...

Amigo e irmão d'alma Rui Palmela.
Amigo Romão.

Parece que não fui tão infeliz assim como dissestes. Tanto é "vero" que o PAPA ELEITO é Sul Americano, portanto a "Grande Meretriz, vestida de escarlate" que fornicava com os "Reis do Norte", certamente acabou de fenecer e "teus filhos e filhas" certamente não suportarão as "terra calientes" debaixo do Equador. Também o Papa Francisco, em o opíparo jantar de tua posse afirmou em alto e bom tom: " Deus, perdoe pelo que fizeram"!!!!!!!!!!!! O velho Cardeal, hoje PAPA, não é nenhum idiota ou analfabeto, confessando perante o Planêta Terra toda a ignomínia da SAnta Madre Igreja ao parafrasear a Jesus Cristo (que não era Católico, nem aquí e nem na China)!
Portanto, caro Romão Casais, tua bola furou e murchou junto com um passado que ainda insistes em acreditar e viver!

Grande Abraço!
Antonio Maria Claret Soares de Marialva.

Anônimo disse...

Gostaria de saber se o Marques de Marialva pagou a aposta. Afinal o novo Papa não é negro.

No aguardo. Mateus

Related Posts with Thumbnails